você está em » Notícias
Data de Publicação: 04/05/2019
Conheça a metodologia que vai ajudar sua empresa a crescer

O Ciclo PDCA é usado por diversas empresas como forma de otimizar processos

Uma das características das grandes empresas é que elas estão sempre criando processos e novidades que otimizam aquilo que já faziam antes. É esse tipo de comportamento que contribui para que elas sejam sempre líderes de mercado e continuem agradando ao consumidor no decorrer dos anos.

Uma das estratégias que as empresas usam para garantir a melhora constante em seus processos é o Ciclo PDCA. Trata-se de uma metodologia que tem como proposta criar uma rotina de otimização baseada em análise, prática e ajuste.

Como é um ciclo, o PDCA não tem fim. A intenção é que todos os profissionais envolvidos busquem a otimização constante e que, dessa forma, a empresa possa estar sempre crescendo.

O que é PDCA

PDCA é a sigla para Plan, Do, Check e Act, ou em português Planejar, Fazer, Checar e Agir, e cada uma dessas etapas possui tarefas específicas que devem ser desempenhadas para que o ciclo continue.

Planejar: esse é o momento estratégico. O primeiro passo é você e sua equipe identificarem problemas encontrados nos processos e produtos e diagnosticarem outros elementos que podem ser otimizados.

Depois de identificar os problemas, é hora de pensar nas soluções e transformá-las em objetivos. E, por fim, cria-se um plano de ação com tarefas e metas a serem alcançadas para atingir os objetivos que você determinou e chegar à resolução do problema.

Fazer: com o planejamento estratégico em mãos, segue-se para a fase de execução. Neste momento, além de cumprir o planejado, é interessante que as pessoas envolvidas no processo reparem no quanto a teoria se aplica à prática, anotando se as atividades planejadas estão sendo efetivas para a resolução do problema.

Checar: o ideal é que essa etapa aconteça ainda durante a segunda fase do ciclo e visualize se as ações estão sendo feitas conforme o planejado e quais são os resultados que estão sendo obtidos durante um período.

Neste momento, o ideal é fazer uma avaliação minuciosa de como as tarefas foram feitas e do que deu certo ou não. Baseado nisso, o plano será revisto e ajustado.

Agir: em posse da análise das ações e com as alterações já definidas, coloca-se em prática uma emenda no planejamento para que, agora sim, todas as tarefas sejam concluídas com sucesso, os objetivos sejam alcançados e o resultado seja a total resolução dos problemas e otimização dos processos dentro da área analisada. É aqui que o ciclo se liga ao primeiro momento e o ciclo recomeça.

O que fica claro, analisando cada etapa, é que o Ciclo PDCA se baseia em um planejamento imediato, feito na primeira fase, e que se transforma em um plano definitivo depois da vivência prática e análise de dados.

Esse processo é extremamente benéfico porque ajuda a tirar as metas do campo das ideias e conferir sua validade em um ambiente de trabalho real. Além disso, ele prioriza a análise de métricas, algo que é muito importante em todos os negócios, mas que muitos empreendedores acabam deixando de lado.

Vamos imaginar que estamos aplicando o Ciclo PDCA em uma pequena fábrica de massas artesanais. Foi diagnosticado que os funcionários perdem cerca de 3 horas por dia higienizando bancadas e equipamentos de trabalho. Esse período equivale a 150 quilos de massa que estão deixando de ser produzidas.

Em um momento de planejamento, é determinado que devem ser criadas estratégias que reduzam esse tempo para 1 hora e meia. Como resultado haverá um aumento na produção de 75 quilos de massa por dia.

Parte-se, então, para o plano de ação e o grupo concorda em estipular horários específicos para a limpeza, sendo 45 minutos de limpeza antes do horário do almoço e 45 minutos no fim do dia, de forma que, quando os funcionários chegarem para trabalhar no dia seguinte, tudo esteja organizado e limpo para começar a produção.

Na fase do agir, a mudança é implementada, mas os funcionários percebem que, até chegar o momento de higienizar a bancada e os equipamentos, muitas panelas, bowls e outros utensílios já estão na pia e fica impossível utilizá-los sem lavar. Com tanto material parado, a produção fica mais lenta e os 45 minutos são insuficientes para limpar tudo.

Depois do período de análise, percebe-se que a produção caiu de 250 quilos de massa por dia para 200 quilos, porque o processo ficou mais demorado.

Essa checagem faz a equipe reavaliar o processo e chegar à conclusão que é mais barato contratar um funcionário para cuidar apenas da limpeza do que deixar a tarefa para os cozinheiros. Mesmo com uma pessoa a mais na folha de pagamento, a produção aumenta os 150 quilos, fruto das 3 horas de trabalho a mais que antes eram dedicadas à limpeza, o que aumenta o faturamento da fábrica.

Viu? Nesse exemplo foi traçado um plano, colocado em prática, reavaliado e ajustado à realidade, exatamente o que prega a metodologia PDCA. Esse ciclo pode ser implementado em qualquer situação e em todos os departamentos: financeiro, logístico, comercial, de marketing etc.

O mais importante na implantação é que você se lembre que o Ciclo PDCA não é apenas uma ferramenta, mas uma cultura que deve ser adotada por todos para que a empresa esteja em processo de melhoria constante. Dessa forma, o sucesso é garantido! 

 

 

 

Fonte: UOL

VEJA TAMBÉM
Prefeitura e parceiros lançam programação do ‘Natal Iluminado’
Impulsionar publicações nas redes sociais pode aumentar as vendas
Como sair do vermelho nas contas da sua empresa
Catanduva abre 332 empresas nos primeiros seis meses de 2019
Impostos de produtos populares nas férias passam de 40% do preço final, diz ACSP
10 erros no atendimento ao cliente que você deve evitar
Tire todas suas dúvidas sobre MEI
Conheça a metodologia que vai ajudar sua empresa a crescer
Arrecadação tributária chega a R$ 200 bilhões nesta sexta-feira
Associação Comercial firma parceria com Sindicato Rural para realização de Certificado Digital
Copyright © Ace Catanduva2016