você está em » Notícias
Data de Publicação: 25/01/2017
Faturamento do varejo paulista atinge R$ 49,2 bilhões, queda de 1% em um ano, aponta FecomercioSP
Segundo a Entidade, foi o terceiro pior desempenho para o mês de outubro desde 2008
 
Após uma série de quatro altas consecutivas, o faturamento real do comércio varejista paulista apresentou recuo na comparação interanual. Em outubro, as vendas do setor diminuíram 1% em relação ao mesmo mês de 2015 e alcançaram R$ 49,2 bilhões, cerca de R$ 505 milhões inferior ao apurado no mesmo período de 2015. Foi o terceiro menor resultado para o mês desde o início da série histórica em 2008. No acumulado do ano houve retração de 0,7% e em 12 meses, a queda foi ainda mais acentuada, de 2%.

 

Os dados são da Pesquisa Conjuntural do Comércio Varejista no Estado de São Paulo (PCCV), realizada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), com base em informações da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo (Sefaz-SP).

 

Entre as 16 regiões analisadas pela Federação, houve uma divisão exata entre crescimento e queda, quando oito apresentaram aumento no faturamento e outras oito registraram retração nas vendas em outubro, na comparação com o mesmo mês de 2015. Os piores desempenhos foram registrados pelo varejo das regiões de Osasco (-14,2%), Guarulhos (-4,8%) e Bauru (-4,6%). Já os melhores resultados foram observados nas regiões do ABCD (4,5%), Araraquara (3,8%) e Jundiaí (3,1%).

 

Das nove atividades pesquisadas, quatro mostraram aumento em seu faturamento real em outubro, sendo elas: farmácias e perfumarias (11,6%), autopeças e acessórios (2,4%), outras atividades (1,5%) e supermercados (0,9%). Essas altas contribuíram para o resultado geral com 1,5 pontos porcentuais (p.p.).

 

Já as retrações foram apresentadas pelos grupos de eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos (-16,7%), lojas de vestuário, tecidos e calçados (-7,6%), materiais de construção (-5,4%), lojas de móveis e decoração (-2,7%) e concessionárias de veículos (-0,8%), contribuindo negativamente com 2,5 p.p. para o resultado geral.

 

Segundo a assessoria econômica da FecomercioSP, nem mesmo a sequência positiva alcançada desde junho nos índices mensais do varejo poderia garantir uma taxa adequada de crescimento do varejo paulista em 2016. Com a nova queda em outubro, mês tradicionalmente forte para o comércio, a Federação aponta que se consolida ainda mais o prognóstico de um possível crescimento nulo para o fechamento de 2016, mas com grande possibilidade até mesmo de uma pequena queda em comparação a 2015.
VEJA TAMBÉM
‘Pesque e Preserve’ promove pesca esportiva e lazer em família
CONVITE PARA DEBATER SOBRE PLC 14/2017
Concessionária da Petrobras vai levar gás natural para Catanduva
Instituições se unem para ajudar quem pensa em abrir negócio próprio em Catanduva
Vendas do Dia das Mães tem primeiro desempenho positivo dos últimos três anos
ACE leva empresários para conhecerem instalações do HUSDom
Gerenciamento Eletrônico facilita e oferece segurança no processo documental de empresas
Poupatempo é a nova casa do Posto Sebrae de Cataduva
"Reforma trabalhista jogou CLT na lata do lixo", diz deputado Sinval Malheiros
Demanda do consumidor por crédito cai 7,2% em fevereiro, aponta Serasa Experian
Copyright © Ace Catanduva2016