você está em » Notícias
Data de Publicação: 12/01/2017
FecomercioSP sugere alterações ao texto que regulamente terceirizações
FecomercioSP sugere alterações ao texto de regulamentação dos contratos de terceirização e relações do trabalho
 
Por meio de ofício encaminhado à Comissão Especial do Desenvolvimento Nacional, a Entidade afirma que a regulamentação da atividade dará maior segurança jurídica ao mercado
 
A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), por meio de ofício encaminhado ao presidente da Comissão Especial do Desenvolvimento Nacional, o senador Otto Alencar (PSD-BA), se mostrou favorável ao Projeto de Lei da Câmara (PLC) no 30/2015, que pretende regulamentar os contratos de terceirização e as relações de trabalho. Na visão da Federação, a aprovação do projeto dará maior segurança jurídica ao mercado, sendo um fator importante para impulsionar a atividade econômica no País.

 

Sobre o texto do PLC, a Entidade entende que alguns pontos merecem atenção e sugere alterações como a previsão de soma dos trabalhadores da contratante e da contratada para determinação da cota de deficientes a serem contratados pela contratante, a previsão de que a responsabilidade da contratante em relação às obrigações trabalhistas e fiscais decorrentes do contrato de terceirização seja solidária ao invés de subsidiária (como é hoje), o que permite ao trabalhador terceirizado mover ação unicamente contra a empresa contratante.

 

A Entidade considera importante, outrossim, que também os órgãos públicos da administração direta e indireta fiquem sujeitos às mesmas normas previstas na proposta em análise, mesmo porque, como se sabe, constituem uma parcela considerável, senão a maior, das atividades terceirizadas; e a previsão de que os trabalhadores terceirizados sejam representados pelo mesmo sindicato dos trabalhadores da contratante, também são pontos que, na análise da FecomercioSP, merecem alterações.

 

Feitas essas ressalvas, a FecomercioSP se mostra favorável à medida, julgando ser ela compatível com sua missão de promover o desenvolvimento pleno e sustentável dos setores de comércio e serviços no Estado de São Paulo, assegurando as melhores condições em busca de resultados positivos para as empresas que representa e a sociedade em geral. Ainda segundo a Entidade, a terceirização de qualquer setor ou atividade das empresas é algo positivo, já que o risco econômico é do empresário, competindo a ele avaliar a oportunidade e conveniência de terceirizar ou não, bem como definir quais setores e departamentos da empresa podem ser terceirizados.

 

O PLC no 30/2015 foi incluído na ordem do dia em 05 de dezembro de 2016 e aguarda votação no Senado, o que deve acontecer nos primeiros meses deste ano.
VEJA TAMBÉM
‘Pesque e Preserve’ promove pesca esportiva e lazer em família
CONVITE PARA DEBATER SOBRE PLC 14/2017
Concessionária da Petrobras vai levar gás natural para Catanduva
Instituições se unem para ajudar quem pensa em abrir negócio próprio em Catanduva
Vendas do Dia das Mães tem primeiro desempenho positivo dos últimos três anos
ACE leva empresários para conhecerem instalações do HUSDom
Gerenciamento Eletrônico facilita e oferece segurança no processo documental de empresas
Poupatempo é a nova casa do Posto Sebrae de Cataduva
"Reforma trabalhista jogou CLT na lata do lixo", diz deputado Sinval Malheiros
Demanda do consumidor por crédito cai 7,2% em fevereiro, aponta Serasa Experian
Copyright © Ace Catanduva2016