você está em » Notícias
Data de Publicação: 22/12/2016
Medidas anunciadas pelo Banco Central buscam a liberdade empresarial e benefícios ao consumidor, aponta Fecomercio SP
 
Para a Entidade, BC começa a atuar para reduzir juros ao consumidor e para melhorar as condições das vendas feitas com cartão de crédito
 
A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) aprova as medidas anunciadas pelo Banco Central ontem. Para a Entidade, os efeitos têm prazo duradouro e visam a livre concorrência e, principalmente, juros menores aos consumidores.
 
Uma das medidas, que trata da diferenciação de preços na venda com cartão e à vista, é uma bandeira já defendida pela Federação. De acordo com a Entidade, não há motivos para que o empresário seja obrigado a ter preço idêntico nas vendas com dinheiro, cheque, ou cartão. Os custos incididos e riscos são distintos, portanto a formação de preços não pode ser igual para todas as formas de pagamento. Também as estratégias de venda não são as mesmas para todos os lojistas, fazendo com que a liberdade empresarial se imponha, como benefício à loja, e, repassado ao consumidor.
 
Com relação ao prazo de recebimento das vendas feitas com cartão de crédito, a Federação entende que os prazos entre a venda feita no cartão e o recebimento desses valores pelos lojistas são muito elevados no Brasil. A medida, em conjunto com outras nesse quesito, deve estimular a concorrência e reduzir esses prazos e também provavelmente as taxas pagas pelos empresários nas vendas com cartões.
 
O aperfeiçoamento do cadastro positivo também é bem-vindo. O uso desse instrumento estimula a adimplência, o bom pagador, e diferencia riscos, portanto, premiando quem paga em dia com taxas de juros menores. Além disso, estimula os maus pagadores a resolverem sua situação, para que não paguem juros maiores ou, pior, não fiquem excluídos do mercado.
 
Entre as medidas adicionais para ampliar a concorrência e melhorar o ambiente de negócios, a assessoria econômica da FecomercioSP acredita que a educação financeira seja um dos pilares para resolver problemas derivados da imperfeição das informações. Ações que visem aumentar a transparência e o grau de informação dos consumidores (empresas e pessoas físicas) tendem a trazer bons resultados no aumento da competição entre os agentes econômicos, e, portanto, é mais uma ação efetiva que deve gerar efeitos de redução de juros ao longo do tempo.
 
A FecomercioSP entende que o Governo através de sua equipe econômica, optou por medidas de pouco impacto imediato, mas que são consistentes, necessárias e de efeito duradouro. Mais do que isso, as medidas não geram distorções econômicas, não elegem privilegiados e também não são contraditórias entre si. Para finalizar, não geram pressões fiscais ou outras distorções que tenham que ser absorvidas indiretamente pela sociedade.
 
Sobre a FecomercioSP
A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) é a principal entidade sindical paulista dos setores de comércio e serviços. Congrega 157 sindicatos patronais e administra, no Estado, o Serviço Social do Comércio (Sesc) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). A Entidade representa um segmento da economia que mobiliza mais de 1,8 milhão de atividades empresariais de todos os portes. Esse universo responde por cerca de 30% do PIB paulista - e quase 10% do PIB brasileiro - gerando em torno de 10 milhões de empregos.
VEJA TAMBÉM
‘Pesque e Preserve’ promove pesca esportiva e lazer em família
CONVITE PARA DEBATER SOBRE PLC 14/2017
Concessionária da Petrobras vai levar gás natural para Catanduva
Instituições se unem para ajudar quem pensa em abrir negócio próprio em Catanduva
Vendas do Dia das Mães tem primeiro desempenho positivo dos últimos três anos
ACE leva empresários para conhecerem instalações do HUSDom
Gerenciamento Eletrônico facilita e oferece segurança no processo documental de empresas
Poupatempo é a nova casa do Posto Sebrae de Cataduva
"Reforma trabalhista jogou CLT na lata do lixo", diz deputado Sinval Malheiros
Demanda do consumidor por crédito cai 7,2% em fevereiro, aponta Serasa Experian
Copyright © Ace Catanduva2016